Dois

Dois seres exaustos, se encontram
Desacreditados, se unem
Se foram
Um dia
Ficaram, partiram

Sob a linha nociva do tempo
Um rosto, desfigurado
Um nó
Dois velhos amigos
Com sonhos destintos, e uma viagem só

Duas vidas vazias
Um dia suspensas
Por um desejo em comum
De ficar

Dois passaros surdos
Poetas perdidos
De cantos longuínquos
Costuram em espelhos
O ato de amar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s